quarta-feira, dezembro 06, 2006

Entrevista a António Vasconcelos “Tonas”

Entrevista realizada pelo Beba Água (BA) no dia 04/12/2006 a António Paulo Azevedo e Vasconcelos (AV), mais conhecido na Natação Portuguesa por “Tonas”. Foi como atleta Campeão e Recordista Nacional Português de todos os escalões, incluindo absolutos e foi como treinador Campeão Nacional Clubes da 1ª Divisão em 2004/2005 pelo CFV.
Teve já um nadador medalhado nos Campeonatos da Europa de Juniores (H. Neiva) e tem actualmente em Adriano Niz e Fábio Pereira as principais figuras da sua equipa. Foi ainda durante 11 épocas treinador do Grupo Desportivo Sopete Póvoa de Varzim (fundador) e 2 épocas treinador do Grupo Desportivo Natação V. N. Famalicão (fundador).
Com um currículo vastíssimo entra já na sua 12ª época no CFV onde assume as responsabilidades de Director Técnico. É ainda docente do Ensino Secundário no Departamento de Educação Física e Desporto na Póvoa de Varzim. Tem 49 anos, é casado e pai de 3 filhos.
Tem como hobbies principais a Internet prioritariamente ligada à natação (BA, etc.), bem como o estudo permanente da modalidade nos seus vários contextos e um gosto especial por assuntos no âmbito das Ciências Humanas.
Aceitou esta entrevista e comenta habitualmente no blog, com o objectivo de procurar exclusivamente uma natação melhor para todos nós.

BA: Dada a sua íntima relação com a natação africana, pelo seu passado como atleta, como vê o surgimento, no contexto da natação mundial, de alguns nadadores de topo mundial neste continente (África do Sul, Zimbabwe, Argélia...)?
AV: É um facto que teria de acontecer inevitavelmente devido à globalização do nosso planeta. Ainda bem que assim é, pois torna a modalidade mais competitiva e faz sobressair esses países que normalmente são associados por outros aspectos. Temos ainda o exemplo do fundista Tunisino e de outras modalidades desportivas.
BA: E relativamente a Angola e Moçambique, de onde vieram alguns dos melhores atletas da natação portuguesa nas décadas de 60 e 70? Pensa que seria possível aproveitar melhor alguns desses talentos, proporcionando-lhes condições de integração na natação nacional?
AV: É difícil, pois pelo que conheço, o nível actual está ainda condicionado pelos problemas pós independência. Apesar de começarem agora a reunir condições, não só desportivas mas também noutra áreas importantes da sociedade, será para a próxima geração que esses países terão expressão desportiva qualitativa e quantitativamente.
BA: Relativamente ao CFV, a natação feminina tem vindo a revelar nestes últimos 2 anos algumas jovens promessas. Qual a explicação para, tradicionalmente, a natação feminina do CFV ser substancialmente mais fraca que a masculina?
AV: Estamos há 11 anos na 1ª divisão. Tivemos até há 5 anos atrás uma natação feminina de bom nível (no ano em que subimos em masculinos à 1ª divisão, descemos em femininos). Felizmente na actualidade voltamos a ter um grupo feminino de bom nível e bastante jovem, com uma boa margem de progressão.
BA: E para quando as meninas a acompanhar os rapazes na 1ª divisão? É já este ano?
AV: Para esta época o nosso objectivo é o lugar mais baixo do pódio, pois penso que os dois lugares que dão acesso à subida estarão atribuídos caso não surjam novidades; e mesmo para o 3º lugar, acredito numa grande disputa com mais 3 equipas. Todos querem naturalmente estar na 1ª divisão e se possível com as 2 equipas tanto melhor.
BA: Ainda sobre a 1ª divisão, pensa que o CFV poderá voltar a disputar o título masculino com Algés? Ou acha que a luta será com a Amadora pelo 2º lugar?
AV: Em função do desenho actual da nossa equipa sem qualquer “contratação”, os “reforços” passaram a ser internos, nomeadamente através da evolução dos nossos nadadores. Sendo assim e porque não podemos contar com um nadador que nas duas últimas edições foi importante na equipa (3 + 3 provas) e ainda face ao posicionamento do ano anterior, bem como à valia das equipas opositoras, o nosso objectivo imediato é a luta pelo 2º lugar, sem no entanto, deixar de a qualquer momento da competição podermos pensar na discussão pelo título caso a situação seja propícia. Nestes últimos 3 anos obtivemos sempre lugares de pódio: 2º com os mesmos pontos do campeão, 1º e 3º.
BA: Para além do Mário Rodrigues e do Igor Carvalho, que já são valores seguros da natação nacional ao nível absoluto, que outras promessas despontam no CFV para os próximos anos?
AV: Costumamos listar todo o grupo, ficando a conhecer o potencial de cada um. Através de uma projecção, vemos o que cada um poderá atingir.
Aponto o Juvenil Miguel Santos, bem como as equipas femininas de 1993 e masculinas de 1992 pelo seu todo, pois entendo que nestas idades é mais importante o sentido colectivo que o individual. Temos ainda uma equipa feminina Junior muito coesa, homogénea e com perspectiva de um futuro excelente, tendo sido campeãs nacionais de Infantis e Juvenis nas estafetas de livres. Finalmente dá-me ainda especial motivação ver nadadores Seniores a evoluirem significativamente, como o caso da Mariana Lopes entre outros.
BA: Curiosamente, as principais referências (atletas) da sua carreira são nadadores de crol. Assim foi com o Ricardo Zamith e Ana Alberto (Sopete), depois com o Pedro Silva (Famalicão), agora também com o Adriano Niz e Fábio Pereira (Vilacondense). Só o Henrique Neiva fugiu à regra. Encontra alguma explicação para esse facto?
AV: O Adriano Niz é mais ecléctico (para além de crol, sempre foi um bom nadador de costas e actualmente passou a ser também a mariposa). Mas temos tido ao longo dos anos uma boa escola de bruços e no plano de carreira do nadador do CFV, as 4 técnicas são privilegiadas de igual modo nos grupos de formação (até Juvenis), bem como as distâncias de nado. Aceitava mais facilmente a questão do porquê de termos nadadores de meio fundo e fundo em detrimento dos velocistas (mas aí são outras razões).
BA: Então qual o porquê dessa tal formação de nadadores de meio fundo e fundo em detrimento de velocistas?
AV: Devido a dificuldades de vária ordem:
a) Pela limitação de espaço para individualizar mais o processo de treino;b) Pela limitação de técnicos no grupo principal para apoiar treino especifico de velocistas, que também requer treino mais específico em seco;c) Porque ainda no Plano Carreira Nadador do CFV temos como trabalho fundamental até JUV o treino técnico e de base (resistência), só privilegiando a partir daí as outras componentes do treino, não invalidando que a velocidade, o treino táctico e mesmo mental não apareçam mais cedo;d) Ainda porque não temos tido indicadores de nadadores com talento para a velocidade nos escalões mais baixos, porque caso sentíssemos algum nadador com tendência para ser um grande velocista, teríamos de arranjar estratégias a nível estrutural e humano para potenciar as suas capacidades.Infelizmente em Portugal parece não termos nadadores de excelência na velocidade e mesmo no fundo começam a rarear.
BA: O modelo de funcionamento da formação do CFV, através do protocolo com a Câmara Municipal de Vila do Conde, é muitas vezes apontado como exemplo que deveria ser seguido por outras autarquias. Pensa que é favorável libertar o clube dessas responsabilidades e encargos na fase inicial de formação, ou seria preferível, se tal estivesse ao alcance do CFV, que os alunos/atletas se identificassem desde logo com o clube?
AV: Este é o modelo que encontrei no CFV há 12 anos atrás, o qual começou assim desde a fundação desta secção, já lá vão 22 anos. Entendo que o modelo de gestão directa pelo clube permitiria de raíz promover o ensino vocacionado para uma saída competitiva, bem como a possibilidade de privilegiar os horários “nobres” para as crianças, facilitando a captação e transição de níveis e ainda a obtenção de receitas.
Como a nossa realidade não é essa, acabamos por estar mais dependentes dos apoios da autarquia de Vila do Conde, bem como da boa vontade dos professores da sua escola de natação, através do encaminhamento para o CFV dos potenciais nadadores. Mas vamos mais longe; actualmente procuramos outros “mercados” em Vila do Conde e na Póvoa de Varzim, pensando que os professores destas escolas de natação (Escola de Natação a Tainha, Stress Out, Varzim Lazer, Clube Desportivo da Póvoa, Mapadi e Escola de Natação o Aquário) ao enviarem as jovens promessas, sentirão orgulho não só pelo trabalho por eles desenvolvido até ao momento, mas também por saberem que esses nadadores poderão prosseguir programas de treino mais adaptados ao seu nível de exigência e desempenho.
Penso que duma forma geral quer num modelo quer noutro, existem vantagens e desvantagens.
Planeamos o que pretendemos realizar, determinando objectivos para cada um, divulgamos junto da equipa e dividimos os problemas com o grupo. Portanto estamos habituados a fazer sempre um segundo esforço, quando o primeiro não for suficiente.
Pela nossa parte temos conseguido manter uma estabilidade na estrutura através de um crescimento sustentado; mas atenção que “construir custa muito, mas destruir é num instante”.
BA: Neste momento possui o Adriano Niz e o Fábio Pereira com francas hipóteses de lutar por um lugar nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008. Dentro dos 6-7 candidatos que se perfilam de momento, como principais candidatos a um lugar na muito badalada estafeta de 4x200 livres da selecção nacional (Tiago Venâncio, Miguel Pires, João Araújo e outros mais novos que estão a surgir, como Diogo Carvalho ou Jorge Maia), quais lhe parecem ser, a esta distância, aqueles com melhores hipóteses de o conseguir?
AV: A estafeta 4x200 Livres acabou muito recentemente de entrar no projecto Pequim com 6 nadadores, sendo a meu ver um processo dinâmico e aberto (podendo entrar e sair um nadador). O que desejo é a melhor estafeta para os JO e que os meus dois nadadores se agarrem e se mantenham no grupo titular. Acredito novamente numa evolução desta estafeta e quantos mais procurarem um lugar, melhor para o colectivo, pois é sinal de maior competitividade.
BA: O que espera deste Campeonato Europeu em Helsínquia para o Niz e o Fábio? Faz agora um ano que em Triste o Adriano Niz teve a sua melhor competição de sempre.
AV: Do Niz e até porque é um nadador bem adaptado para provas em piscina curta, espero que obtenha os seus melhores resultados pessoais (ultrapasse os seus recordes nacionais absolutos obtidos exactamente há um ano, tendo ficado “à porta” da final), uma vez que tem dado bons indicadores nas recentes competições realizadas. Vamos ainda apostar numa prova nova (200 mariposa) uma vez que se tem sentido muito à vontade e evoluido nesta técnica nos últimos anos.
Quanto ao Fábio, acredito igualmente numa boa participação, até porque normalmente tem conseguido superar-se nos grandes momentos.
A acontecer uma excelente presença a estes meus dois nadadores quer nos CEPC, quer nos CNC, poderão garantir a participação nos mundiais e posteriormente nos jogos olímpicos.
BA: Com a saída do Prof. Paulo Cunha de DTN e a extinção deste cargo com a estruturação de um novo Organograma para a FPN, recebeu algum convite? Se sim, porque recusou?
AV: Não. Efectivamente ninguém me fez qualquer tipo de convite para a FPN.
BA: Como viu no último defeso a troca de treinadores em muitas equipas importantes? A saída do Vasco Sousa do CFV para o Leixões foi inevitável? Houve a tentativa de o manter no Vilacondense?
AV: Não vi trocas para ser sincero. Penso que a única mudança foi a do meu ex-colega de equipa. Para ele terá sido um desafio interessante a sua mudança, uma vez que passou do grupo de Infantis, para a liderança de toda uma equipa, com outras responsabilidades a todos os níveis.
Apesar de ter trabalhado comigo dois anos no GDNVNF e onze no CFV e ainda por termos mantido uma boa relação profissional e de amizade, na vida há um momento em que uma pessoa terá uma oportunidade com expectativa de se valorizar. Foi isso que aconteceu e espero a sua plena realização neste seu novo percurso.
BA: Relativamente ao blog Beba Água, quase todos sabem que é um visitante assíduo, mas que balanço faz deste 1º ano de actividade? O melhor e o pior?
AV: Muito bom para a natação nacional, bastando ver os feedbacks que lhe estão associados.
O melhor: praticamente tudo, pois diariamente existem motivos para se passar pelo BA, seja pelos novos “posts” ou “comments”, seja pela consulta a resultados, etc. Já reparei que este blog é frequentado por toda a família da nossa natação. É este o caminho certo e tens sido espectacular neste trabalho.
O pior: o momento em que tocou no fundo ao nível do insulto gratuito e falta de respeito, tendo de passar a existir um filtro nos comments. Na altura parecia que seria factor de desmobilização, mas actualmente está provado pelas estatísticas que não o é e ainda bem
BA: E sobre o Jogo do Nacional de Clubes. Como vê esta iniciativa? Acha que com as suas apostas têm hipóteses de ganhar?
AV: Antes de mais parabéns pelo aniversário do BA e ainda pelo jogo do CNC. Entendo ser um factor de mobilização de todos os intervenientes da modalidade, obrigando a um estudo e conhecimento mínimo de grande parte das equipas portuguesas.
A aposta foi feita com base no que conheço da modalidade, mas a exemplo do que toda a gente faz, quando se joga é para ganhar e ainda pelo “facto de se estar preparado, já é meia vitória” (Cervantes), espero ser um candidato a triunfar neste jogo.
BA: Obrigado pelo tempo e pela paciência.
AV: Obrigado eu também. Abraço.

Etiquetas:

28 Comments:

Blogger Duarte Mendonça said...

Sim senhor, 5 estrelas o conteúdo, tanto as perguntas como as respostas.

Os sites americanos de natação deviam vir beber inspiração aqui...

Só foi pena q o técnico entrevistado não tenha identificado o seu nick aqui no B.A., pra ficarmos a saber qual é:)

Parece q há mtos candidatos à vitória do jogo B.A., e o entrevistado assume-se como mais um. Querem ver q isto vai ter de ir ao critérios de desempate para encontrar o vencedor?!

quarta-feira, dezembro 06, 2006 11:05:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

critérios de desempate para k duarte?
apostaste no mesmo vencedor que o Tonas?

ehehehe

quarta-feira, dezembro 06, 2006 12:03:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

grande treinador.
se houver uma só alteração na actual direcção, será contratado pelo FCPorto, para reconquistar a hegemonia da natação nacional.

quarta-feira, dezembro 06, 2006 1:41:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Boa Tonecas, tiveste bem
Pena q as questões tenham sido muito softs para alguem q teria muito a acrescentar ao atual momento da natação tuga...
Força pos nac. clubes q vais ser campeão (em rapazes, claro...)
PS: a foto mais parece do tempo do tubarão de angola ou dos lados de benfica...

quarta-feira, dezembro 06, 2006 2:02:00 da tarde  
Anonymous pv said...

o anonimo das 2.02 gosta assim tanto do tonas, do CFV ou é mais um anti-qualquer coisa anonimo?

quarta-feira, dezembro 06, 2006 3:27:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

lá tá a mesma malta a espicaçar o tonas. kerem que o desgraçado dê a cara por vocês. sejam homenzinhos, saim da toca e deem a cara
o tonas fala por ele, nao fala por voces.
looool

quarta-feira, dezembro 06, 2006 3:31:00 da tarde  
Anonymous Luis K. W. said...

Muito bem.
O Tonas (a.k.a. o "Tubarão Angolano") é mais um dos nadadores que marcou as épocas em que eu por lá andei.
Bom... "andei" é como quem diz, uma vez que ainda por lá ando.
LOL
(Luis K. W.)

quarta-feira, dezembro 06, 2006 5:59:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Sem reforços nem contratações? o que chamas então às atletas que vieram do leixões? É só teres oportunidade e ....pimba já lá moram! O prof Tonas parece um Perú na época de natal.
Já agora esta parceria com o blog é para durar?

quarta-feira, dezembro 06, 2006 9:14:00 da tarde  
Anonymous nortenho said...

As atletas a que te referes, já estão no CFV, há 6 e 4 anos, respectivamente, ou seja, ingressaram de livre vontade e ainda no seu período de formação!!!
Já agora, se reparares NÃO saem atletas deste clube para os outros clubes!
Porque ... será ?????

quarta-feira, dezembro 06, 2006 9:36:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Sónia Villar não vos diz nada! estão a enganar-se a vocês

quarta-feira, dezembro 06, 2006 9:46:00 da tarde  
Anonymous contazulejos said...

LOL...lá estão estes comentarios de dor de cotovelo.
Adorei ler esta entrevista, o "Tonas" é um exemplo a seguir, pelo menos para mim.
Ainda em relação as transferências, acho que deveria de existir uma forma de valorizar tanto no Campeonato Nacional, como na Taça de Portugal os nadadores que foram formados no clube...sei lá, atribuir apenas uma % dos pontos aos nadadores novos no 1º ano de transição ou qq coisa assim...

quarta-feira, dezembro 06, 2006 9:57:00 da tarde  
Blogger Mok said...

Po anonimo k diz que o tonas precisou de contrataçoes ha de me dizer kuais foram e em que escalao foi...e tb se foi o fluvial a procura-los ou eles e k se xatearam cm o seu clube ou pensaram que seria melhor serem treinados por este gand senhor...
fiko a espera da resposta..


Agora cmu n podia deixar passar, aproveito esta entrevista pa dizer ao tonas que sempre foi e será uma referencia pra mim,por tudo que me ensinou ,me deu , e continua a dar a nataçao!!!
Posso considerá-lo kuase cmu um segundo pai, pois houve alturas em k tava mais tempo cm ele do k cm os meus pais..É pena mas agora ja tou noutro projecto ja n o vejo á mto tempo..

Continua cmu sempre tonekas!!!

ahhh ainda tou a espera do nosso despike d 50 livres..
gande abraço

boas braçadas

quarta-feira, dezembro 06, 2006 11:03:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

contaazulejos,
eu até propunha uma contagem diferente:
os atletas dos clubes que tu mais gostas pontuavam a dobrar, que tal?

olha, vai ali à casa-de-banho contar mais uns azulejos, meu!

quarta-feira, dezembro 06, 2006 11:17:00 da tarde  
Blogger Duarte Mendonça said...

Ui, este contazulejos vê mto à frente!!!

Seria uma medida tão justa quanto explosiva.

Mas sejamos realistas: achas mesmo q alguém iria ter 'tomates' para aprová-la?

Neste jogo de conveniências e favores mútuos, q é a essência da natação portuguesa (onde até um gajo idóneo como tu se deixa envolver), é ser utópico pensar q isso poderia ser real.

E sobre esse assunto, tenho dito.

quarta-feira, dezembro 06, 2006 11:52:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

eu proponho que o duarte pontue a triplicar. "triplos do banif" já que o homem é da madeira

quinta-feira, dezembro 07, 2006 10:28:00 da manhã  
Anonymous fgk said...

"...conveniencias e favores mutuos..."
voces sabem do que é que eu estou a falar!!!!

ridiculo este gajo

o gajo mais interesseiro e faz-favores és tu pá, há 2 anos ao serviço dos gajos da fpn, agora ao serviço da amadora e outros k tal.

vai-te catar

quinta-feira, dezembro 07, 2006 10:31:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Anónimo 9:46PM, queres mesmo que te diga porque é que a Sónia saiu???

quinta-feira, dezembro 07, 2006 10:51:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

O contazulejos e o DM esquecem se de uma coisa.. existem nadadores que não são pagos para nadar e mudam-se de clube para continuarem o desporto que tanto gostam..
(acho que foste um deles Mendonça)
Sendo assim no seu 1º ano de transição seriam severamente prejudicados..

JPM

quinta-feira, dezembro 07, 2006 11:56:00 da manhã  
Blogger Duarte Mendonça said...

JPM:

Ninguém os estaria a impedir de nadar no ano em q mudassem de clube! Simplesmente, pontuariam no Camp. de Clubes com alguma restrição, e o treinador faria as contas, vendo se valeria a pena ou não.

Claro q isso ia baralhar o sistema de pontuação da FPN e ia dar bronca, mas acho q fora essa evidência, seria uma possibilidade a considerar.

quinta-feira, dezembro 07, 2006 12:07:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Não acho sensato se pensarmos que muitos mais atletas que não ganham nada com isso em termos financeiros mudam de clube que nadadores "empregados"..
Além disso muitos clubes de formação mantém os seus atletas financiando eles com objectivos a cumprir durante a época.. estes também estão a ser pagos..

E quando se diz um atleta de formação estamos a falar de quê?
Cadete? Juvenil? Junior? Transição para senior?..
Bastava o nadador ter estado noutro clube um ano ou dois.. já é considerado atleta " de sempre" do clube não considerando a idade?

Acho que estariamos, e muito, a prejudicar atletas..

Visto que ninguém vive às custas da natação..
E noutros desportos já vi muitos jovens a cortarem-lhes as pernas, por zangas com o treinador e querem continuar a sua prática noutro clube.. (ou seja desistem)
Mas nesse caso.. era porque o anterior clube não deixava o atleta em questão a sair..

Cortar pontos "SÓ" nos nacionais de clubes.. ainda por cima agora que apareceu uma nova competição, talvez mais importante, a Taça de Portugal..

Os nacionais de clubes são a prova que a natação é também um desporto colectivo.. se um novo membro do clube fica impossibilitado de nadar esta competição por essa "nova regra", porque dois ou três miudos recebem $$..

Então deveriamos também impedir os "recrutas" de participar nos nacionais de clubes.. aqueles que "treinam" 2mil metros ou 4mil metros na época toda..

quinta-feira, dezembro 07, 2006 12:25:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

ah.. isto de cima.. é meu

JPM

quinta-feira, dezembro 07, 2006 12:35:00 da tarde  
Anonymous contazulejos said...

LOL...
Bolas, eu apenas a opinar sobre uma proposta de medida, nem especifiquei nada e "PIMBA"...
O caro anonymous que escreveu logo a seguir ao meu comentario....tem la calma, não são nada os clubes do meu agrado, eu até não tenho agrado por nenhuma instituição, apenas pelas pessoas que la desenvolvem a sua actividade...
Vamos por a coisa em termos menos negativos então...e que tal o clube de onde transitou o atleta receber uma % dos pontos sem retirar nenhum ao novo clube...são apenas cenarios, que precisavam de ser muito bem definidos.
Já vi que o houve quem não gostasse, mas nem por isso vou insultar quem não tem a mesma opinião.
Outra coisa, não falei apenas em CN, falei tb na Taça de Portugal.

DM, agrada-me o facto de achares a medida justa...mas achas mesmo que seria explosiva? Nunca foi apresentada a ideia?

quinta-feira, dezembro 07, 2006 2:02:00 da tarde  
Anonymous rac said...

Penso, que todas essas medidas contêm muita subjectividade.
Não seria preferível reduzir a participação, p.e. para 2 provas (em vez das 3 actuais) individuais e apenas a participação em 2 das 3 estafetas, para efectivamente termos competições, onde contasse o "conjunto" em vez das individualidades.
Deste modo, "aquelas contratações" de NATAL, não teriam o "peso" que têm, com este modelo competitivo.

quinta-feira, dezembro 07, 2006 3:25:00 da tarde  
Blogger Duarte Mendonça said...

Atenção q as provas já foram reduzidas de 4 (anteriormente) para três (actual) por atleta!

Penso q neste aspecto, este modelo está bastante equilibrado.

Estafetas cada equipa tem de participar c a melhor equipa, não faz sentido participar com estafetas 'cambadas'.

Com este modelo, já conta o conjunto, são precisos 5 a 6 atletas.

Para contarem 20 ou 30, existe a Taça de Portugal.

As contratações de Natal ainda bem q existem. Se não fossem elas, o Camp. de Clubes não tinha o nível q tem.

quinta-feira, dezembro 07, 2006 4:16:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

É pena, que muitas vezes após o NATAL, alguns clubes se "afundem" completamente, ou então, que andem constantemente no sobe e desce, consoante haja ou não "dinheiro"!!!
Para além, de que muitas vezes estão a "tapar" as oportunidades a quem "faz" os clubes!!!
Contratações para epócas inteiras, ainda se entendem!
Agora, para apenas os CNC, andamos "todos a enganar-nos"!

quinta-feira, dezembro 07, 2006 4:50:00 da tarde  
Anonymous Mariana l. said...

qt ao tonas,um grande treinador..um gd exemplo! e ali para o anonimo q fala das atletas do leixoes.eu falo por mim,n fui 'chamada' para este clube! s vim,foi pq tive as mnhs razoes e estou super contente com todo o trabalho no vilacondense! uma equipe muito unida...sclhr foi mesmo isto que me chamou a atenção qd abandonei o leixoes..

sábado, dezembro 09, 2006 9:03:00 da tarde  
Anonymous rac said...

Gostei da tua entrevista, onde abordaste vários temas de importância relevante no panorama da natação nacional.
O que mais admiro, é que o teu clube (c/ as desistências anuais habituais) consegue sempre revelar novos talentos, fruto dum excelente trabalho e dum excepcional espírito de equipa, que até é visível no apoio e união demonstrados pelos adeptos nas bancadas.
Boa sorte para os CNC e que consigam todos os vossos objectivos.
Vou estar atento, principalmente c/ a equipa feminina (que pouco conhecia), onde há pouco tempo me apercebi da existência de atletas de grande valia.

quarta-feira, dezembro 13, 2006 9:23:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

muitos parabéns pelos resultados alcançados, em Sto Antº Cavaleiros, as miudas prometem! e o resultado dos 4.200 foi incrivel!

segunda-feira, dezembro 18, 2006 7:52:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home