quinta-feira, fevereiro 17, 2011

“Masters” Australianos voltam em força

Depois de Geoff Huegill (2008), Libby Trickett (2010) e Ian Thorpe (2011), agora é Michael Klim (já com 33 anos) que quer regressar e apurar-se para os Jogos Olímpicos de Londres de 2012. Klim abandonou em 2007 vítima de múltiplas lesões que lhe impediram de continuar pelo menos até aos Jogos Olímpicos de Pequim de 2008.

Recorde-se que nos Jogos Olímpicos de Sydney 2000 o australiano a nadar em casa foi campeão dos 4x100L e 4x200L, tendo ainda ganho prata nos 100M e 4x100E. Foi ainda recordista mundial dos 100L por três dias com 48.18 (abertura da estafeta dos 4x100L), sendo depois batido na meia-final por Pieter van den Hoogenband com 47.84. Na final acabaria por ser 4º classificado…

Klim foi ainda recordista mundial dos 100M entre 1997 e 2003 (52.15/1997; 52.03/1999; 51.81/1999; Andriy Serdinov 51.76/2003). Ainda em Jogos Olímpicos, Klim foi prata nos 4x200L de Atenas 2004 e bronze nos 4x100E em Atlanta 1996. Em Campeonatos do Mundo de piscina longa foi por 7 vezes campeão (2 individuais em Perth 1998: 100M e 200L), 2 vezes vice-campeão e por 2 vezes medalha de bronze.

A “natação” australiana ganha assim outro reforço de peso, embora se coloquem agora várias questões que não deixam de ser preocupantes:
- será que estes nadadores não encontraram outra actividade extra-natação para se realizarem profissionalmente?
- estes regressos são motivados exclusivamente por bons patrocínios ou vontade de competir?
- o que será dos jovens nadadores que vão ficar de fora das selecções absolutas em virtude destes regressos?

Etiquetas:

14 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Antes da ultima pergunta eu colocava outra: Será que o Klim e Thorpe vão mesmo regressar em pleno e merecer a chamada na selecção absoluto?

Só depois de saber isso é que se coloca a ultima pergunta.

quinta-feira, fevereiro 17, 2011 11:04:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

O que interessa, no caso de regressarem é as marcas que vão fazer, dp, vão os melhores
é simples.

quinta-feira, fevereiro 17, 2011 11:27:00 da manhã  
Anonymous Pinotes said...

Questões muito pertinentes...

- Sobre a primeira penso que depende muito do que cada um construiu até agora fora da natação e, como não conheço todos os exemplos bem, é uma questão muito individualista;

- Da segunda creio que muitos destes regressos foram sim motivados fundamentalmente por patrocínios; eles deveriam ser apenas um incentivo e ajuda a quem quer trabalhar, e não o principal motor do trabalho;

- Acerca da última, a mais discutível no meu entender, sou a favor de que, desde que se mantenha um nível de apoio equitativo, justo, e adequado às várias etapas de formação de um nadador, a natação só terá a beneficiar com os regressos, pois tal garante que serão sempre os melhores a ser chamados e aumenta o nível competitivo;

- Adaptando ao caso português, centraria a minha principal preocupação na primeira questão, não pelo imediato, mas por um futuro que prevejo não estar muito longe. Se conseguirmos ter um nadador de topo mundial um dia, terá ele que viver sempre rodeado de água? Se sim, será por culpa própria ou das entidades que o rodeiam?

Aguardo respostas ;)

quinta-feira, fevereiro 17, 2011 11:37:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

pelo que li, acho que o huegill regressou por questões de saúde. pesava 130 kg e começou a fazer exercício físico para emagrecer, consequentemente começou a ganhar vontade de treinar ao mais alto nível.

os outros não sei... mas admito que estou expectante para voltar a ver o thorpe em acção.

quinta-feira, fevereiro 17, 2011 1:56:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Esses regressos todos, concentrados só em Australianos...Será que não teve iniciativa da Federação Australiana?

quinta-feira, fevereiro 17, 2011 3:29:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

o Ian Thorpe vai ser com o Michael Schumacher ele vai voltar mas nao vai ser pagar os titulos que ja ganharam anteriormente ! voltam mas é para serem mais um atleta !

quinta-feira, fevereiro 17, 2011 5:22:00 da tarde  
Blogger Jorge said...

Mas que raio de perguntas são estas?!!!!
Faz algum sentido fazer estas perguntas?!!!!
Quiseram voltar, vão voltar! Não vejo qq problema com isso. Vão competir como os outros, quem se qualificar ok, quem não, ardeu! è competição, foi isso q decidiram!..
abçs

quinta-feira, fevereiro 17, 2011 5:37:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Falta um pelo menos...Hackett! Será que regressa também? Para 1500m ainda tinha um longo caminho a percorrer e certamente 2012 é extremamente próximo :p

quinta-feira, fevereiro 17, 2011 5:49:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Acho piada á questão levantada pelo BA de "o que será dos jovens nadadores que vão ficar de fora das selecções absolutas em virtude destes regressos?"

Por favor!
Os 'jovens nadadores' têm q lutar p/se apurarem pra os JO se nao conseguirem paciencia!

quinta-feira, fevereiro 17, 2011 7:56:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Estes nadadores australianos vão regressar para saírem pela porta dos fundos já que, pelos vistos, não gostaram de sair em glória e vitoriosos. São opções individuais mas devem ter-se baseado em pensarem que o tempo só passa para os outros. Ok, irão perceber que são iguais a toda a gente e que tal como os outros há uma fase de iniciação, outra de atingimento do máximo das suas capacidades físicas, e por fim uma fase de descida das capacidades atléticas com consequente abaixamento das performances competitivas.
Tão simples quanto isto. Acontece com todos.

quinta-feira, fevereiro 17, 2011 8:18:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Eu não sei se isto que vou dizer é verdade ou não, até pode nem ser:

Todos (ou alguns) destes atletas podem ter continuado a treinar (ou a dar banho ao corpo) e, agora, que sentiram saudades dos tempos em que competiam ao mais alto nível, decidiram voltar a tentar.

O anónimo deu o exemplo do Klim, que resolveu voltar devido a ter tido problemas de saúde e retornado o exercício físico.

Eu dou o exemplo do Lance Armstrong: após ter parado durante uns tempos, continuou a treinar e a andar de bicicleta. O bichinho ainda andava lá dentro e decidiu voltar a tentar. E a realidade é que conseguiu, com quase 40 anos, melhores performances na volta à França que alguns jovens de 20.

Eis onde eu quero chegar: não há mal nenhum no querer voltar. Estes atletas, tendo sido os melhores ou não, têm tanto direito de voltar a tentar como os outros têm o direito de tentar pela primeira vez. É até interessante ver se, após terem estado parados tanto tempo, têm capacidade para estar à altura dos mais novos.

Esperemos para ver no que isto vai dar ;)

quinta-feira, fevereiro 17, 2011 8:22:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

concordo com o Jorge e com o anónimo das 8:22 PM

O que interessa é ver quem ganha, o que interessa é ver no que isto vai dar em termos de competição!

Pessoalmente, adorava ver pelo menos um destes ex-"monstros da natação" voltar a brilhar nos jogos olímpicos, só tinha 11 anos na altura dos jogos de Sidney, mas já na altura me lembro de não querer perder uma prova do Thorpe!
Estes nadadores marcaram um geração fortíssima da natação australiana, na altura a melhor do mundo!!

quinta-feira, fevereiro 17, 2011 11:03:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

O actual estado da natação Australiana parece os Nacionais de Clubes em Portugal :)

Eles que voltem! Para os JO'12 só se apuram os melhores e certamente que a Austrália vai apresentar uma equipa fortissima :)

sexta-feira, fevereiro 18, 2011 9:58:00 da manhã  
Blogger Beba Água said...

mais um "master" australiano de volta, desta feita, no triatlo:
http://www.dailytelegraph.com.au/sport/more-sports/triathlete-chris-mccormack-to-have-tilt-at-triathlon-at-2012-olympic-games/story-e6frey6i-1226007480988

sexta-feira, fevereiro 18, 2011 10:06:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home