quinta-feira, junho 23, 2016

O Apuramento Olímpico é pela pontuação FINA

(Post inicialmente publicado a 08/06/2016)
Após a grande procura pelo post de ontem sobre o apuramento Olímpico, fui alertado pelo grande e ilustre Alexandre Pussieldi, mais conhecido na comunidade aquática internacional por Coach Alex, que o critério de seleção da FINA será exclusivamente pela pontuação FINA de cada prova, independentemente do sexo e da prova.

Assim, os primeiros nadadores portugueses a serem chamados serão Miguel Nascimento e Tamila Holub. Mesmo sem mínimo FPN/COP, Diana Durães, Ana Pinho Rodrigues e Guilherme Pina, aparecem à frente de Ana Catarina Monteiro… Diana Durães com 832 pontos aparece como a 3ª mais bem posicionada para ser chamada.

Nuno Quintanilha com 853 pontos nos 200M, teoricamente seria o 2º a ser chamado, mas está tapado por Miguel Nascimento na mesma prova. Para Quintanilha ser chamado, Miguel Nascimento teria de abdicar dos 200M e apostar nos 100L, onde tem 836 pontos. Mas será que 836 pontos chega para ser chamado? Acho que ninguém quer arriscar até porque os 200M foram mesmo a maior aposta de Miguel Nascimento para esta época. Ainda assim se os 836 pontos chegarem, Miguel Nascimento poderá nadar os 100L como 2ª prova.

Os nadadores já apurados com mínimo A, poderão eventualmente escolher uma 2ª prova. Alexis Santos provavelmente os 400E, Diogo Carvalho os 200B e Victoria Kaminskaya os 200E.

Ranking Português – FINA2016 superior a 800 pontos:
857p Miguel Nascimento ESJB nos 200M com 1:57.36
841p Tamila Holub SCB nos 800L com 8:36.21
836p Miguel Nascimento ESJB nos 100L com 49.79
832p Diana Durães FCP nos 400L com 4:13.34
817p Ana Pinho Rodrigues AEJ nos 100B com 1:08.82
816p Guilherme Pina BSCN nos 1500L com 15:31.96
813p Ana Catarina Monteiro CFV nos 200M 2:10.51
812p Gabriel Lopes ALN nos 100C com 55.67

Outros nadadores/provas com mais de 800 pontos:
853p Nuno Quintanilha CNCVG nos 200M com 1:57.55 (2º nadador, depende de M.Nascimento)
851p Alexis Santos SCP nos 400E com 4:17.28 (já qualificado nos 200E com mínimo A)
837p Diogo Carvalho CGA nos 400E com 4:18.67 (já qualificado nos 200E com mínimo A)
822p Diogo Carvalho CGA nos 200B com 2:15.58 (já qualificado nos 200E com mínimo A)
819p Victoria Kaminskaya ESJB nos 200E com 2:14.76 (já qualificado nos 400E com mínimo A)
807p Alexis Santos SCP nos 200L com 1:49.53 (já qualificado nos 200E com mínimo A)
806p Diana Durães FCP nos 800L com 8:43.58 (2º nadadora, depende de T.Holub)
805p Mário Pereira CNAC nos 200L com 1:49.62 (2º nadador, depende de A.Santos)

- Site Nico van Duijn com os rankings olímpicos
- Site FINA com o ranking mundial
- Critérios FINA de seleção dos 900 nadadores
- Novela da seleção JO’2012: PostBA1 / PostBA2 / PostBA3
- Post BA “O desespero do apuramento Olímpico 2016”

Etiquetas: , ,

42 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Que muda isto em termos de apurados em Portugal.
Obriga a Fpn a rever os critérios ?
Era muito útil neste momento O beba água recolher informação junto da fpn .

quarta-feira, junho 08, 2016 10:37:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

A ser verdade, é mais uma demonstração cabal e inequívoca da incompetência que reina na FPN.

Como são determinados os mínimos FPN/B, sem levarem em conta os pontos FINA ?

Então temos atletas sem a obtenção desses mínimos, que estão há frente doutros que obtiveram ?

É a BAGUNÇA TOTAL !!!!!!!!!!!!!!!!!!!

quarta-feira, junho 08, 2016 12:27:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Brutalissimo era irem todos !!! :)

quarta-feira, junho 08, 2016 1:23:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Pelo que parece o critério da FINA é por prova, não por pontuação! A seleção dos atletas é feita tendo em conta o número de atletas em cada prova, prevendo se serem cerca de 40. Não é lógico os atletas serem escolhidos por pontuação FINA: primeiro porque correriam o risco de ter provas com muito mais atletas do que outras e depois porque a referência de cada prova são tempos diferentes, não é comparável.

quarta-feira, junho 08, 2016 2:48:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Sr. Bebaágua, há uma contradição no seu texto: "que o critério de seleção da FINA será exclusivamente pelo ranking da pontuação de cada prova, independentemente do sexo e prova."...quer explicar? Diz exclusivamente de cada prova e independentemente de cada prova... um equívoco portanto.

quarta-feira, junho 08, 2016 3:03:00 da tarde  
Blogger Beba Água said...

Tem toda a razão o texto do 1º paragrafo estava mal escrito. Já fiz a alteração.

Os nadadores com mínimo B FINA serão chamados com os seguintes critérios:
1. Por pontos da tabela FINA
2. Independente do sexo
3. Independente da prova

quarta-feira, junho 08, 2016 3:31:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Todos os Nadadores sem mínimo A = Grupo Excursionista

quarta-feira, junho 08, 2016 4:47:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

É o fórró total.
impunha-se um esclarecimento da FPN, isto se tivessem competência e transparência para tal, claro. Coisa que não abunda por aqueles lados.

quarta-feira, junho 08, 2016 4:56:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

ainda ninguém me explicou para que serve o minimo FPN, se vai ser completamente ultrapassado por estes rankings???

quarta-feira, junho 08, 2016 5:20:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Invited athletes who have achieved an Olympic Selection Time (OST / “B” Time)
Following the end of the qualification period, FINA will assess the number of athletes having achieved the OQT / “A” Time, the number of relay-only swimmers and the number of Universality Places. FINA will then invite athletes who have achieved an OST / “B” time, until the total quota of 900 is reached. OST places will be distributed by event, according to the position on the FINA World Ranking of 3 July
2016.Additional swimmers having achieved an OST / “B” time may be invited to ensure that all NOCs represented at the 2015 World Championships in Kazan (RUS) will have an eligible swimmer to participate in the Olympic Games.

quarta-feira, junho 08, 2016 6:45:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Tradução:
Os lugares OST serão distribuídos por evento, de acordo com a posição no Ranking Mundial FINA a 3 de Julho de 2016.
Corrijam-me se estiver mal...os lugares serão distribuídos POR EVENTO, por isso não existe uma relação direta entre os atletas portugueses admissiveis para os JO, certo? Logo esta noticia não faz sentido correto?Só o Nuno Quintanilha e o Miguel Nascimento é que concorrem diretamente um com o outro certo? Reveja isso por favor Bebaágua, porque par criar espéculação já bastam os 3 jornais que só falam de um desporto e a Natação não precisa disso para ser Um Fantástico Desporto e cada vez mais Forte em Portugal!!!A Natação Agradece!!!

quarta-feira, junho 08, 2016 7:29:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Os pontos Fina são determinados pela distancia em relação ao recorde do mundo, sendo que o recorde do mundo está estabelecido em 1000 pontos.
Os mininos A e B são feitos em relação a media entre os primeiros 16 (se não estou em erro) da edição anterior
E o minimo FPN é feito pela federação a nível % entre o mínimo A e B determinados pela FINA
Tanta treta e tanto BOATO e COMENTARIO... na verdade isto não passa de expeculações em torno do apuramento, tal e qual como houve em 2012 e depois quem entra é sempre quem entra pelos rankings e não pela pontuação, como parece justo, porque ha provas que tem recordes do mundo muito destintos de outros.

Em relação ao levar mais ou menos gente é simples, a federação tem critérios de seleção e quem os cumpriu dentro dos limites tem que ir.
Caso os critérios sejam alterados de forma a entrarem todos os outros mínimos B que não cumpram o minimo FPN a federação, na minha opinião terá que levar todos os que entrem pelos rankings. Se houver essa confirmação e o COI chamar os atletas só tem é que entrar. Ou temos uma natação tão de elite que podemos dar-nos ao luxo de deixar atletas em casa?


quinta-feira, junho 09, 2016 3:04:00 da manhã  
Anonymous Coach Alex Pussieldi said...

Amigos de Portugal.

Todos os atletas que atingiram a marca B da FINA são atletas "em consideração". Depois da chamada dos atletas com marca A, atletas de revezamentos e atletas da Universalidade, as vagas restantes até completar 900 nadadores serão ocupadas por nadadores com marcas B.

A chamada das marcas B é feita pela ordem de pontuação FINA, independente de prova, e/ou sexo. Com isso, a FINA pretende levar os melhores nadadores completando os 900 totais.

Atletas podem ser chamados e, ao não confirmar, a lista desce para a próxima pontuação.

Este critério já foi utilizado em 2012, e apenas se repete o mesmo processo.

quinta-feira, junho 09, 2016 3:07:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Mas que grande confusão vai por aqui! Quando a FINA definiu o mínimo A para cada uma das provas, não andou a verificar a pontuação FINA correspondente a cada uma delas, mas tão só a marca que entendeu o seu comitê técnico como aquela que consumava os seus objetivos. E assim foi seu entendimento que cada uma das marcas em cada prova devia corresponder ao 16 tempo obtido nas olimpíadas de Londres. O mínimo B corresponde a um incrementos de 3,5 % sobre o mínimo A. Nada de pontuações FINA como veem. E todos sabemos que estas são discutíveis entre os técnicos desde há muito tempo.

Como é dito num dos posts acima, os atletas serão convidados por ranking, em função das marcas em cada prova e não da pontuação FINA. Naturalmente será mais difícil entrar em provas mais competitivas (livres) do que nos outros estilos. E mesmo nestes, haverá diferença, pois todos sabemos que a competitividade em cada prova é diferente. As coisas são como são e não há volta a dar-lhe.

A federação pode ter os defeitos que tem, mas quererem vir imputar culpas a quem, há quase dois anos definiu critérios bem claros e repetidamente anunciados a todos os agentes, em função dos objetivos da sua política desportiva para o alto rendimento, é no mínimo, de uma falta de conhecimento de todo o processo e de uma insensatez a toda a prova.

Todos sabemos do grande esforço e empenhamento colocado por muitos atletas para conseguirem os seus objetivos. Todos que andamos no desporto sabemos que uma vezes se consegue, outras não. A Nataçao é um desporto de marcas cronométricas e daí não se pode fugir.

A bem da exigência, da seriedade e da ética para com todos atletas, só espero que a FPN não venha mudar os critérios de acesso aos Jogos, sob pena de pena de perder a face e a credibilidade. Seria vergonhoso acontecer algo semelhante ao que aconteceu há 4 anos, em que só havia um atleta com mínimo A e dois com mínimos FPN e depois terem permitido que quem não cumpriu os critérios pudessem ir aos Jogos, com os resultados que todos sabemos.

Subverter uma lógica de 3 anos à última da hora, só porque alguns nadadores não conseguiram cumprir o estipulado nos critérios de acesso, seria uma medida extemporânea é desprovida de qualquer lógica construída.

Bem ou mal, esta FPN construiu critérios com as marcas que entendeu serem aquelas que se coadunavam com a sua política desportiva. Cabe-lhes, enquanto gestores do processo, definir, ouvida a sua Direção Técnica. É para isso que os diferentes órgãos existem. É para implementar políticas, as suas políticas, e não a que os outros, os tais, entendem que deveria ser. Há que saber ouvir, mas também há que decidir. Foi o que aconteceu. Poderia ter definido só permitir acesso aos Jogos quem obtivesse mínimo A. Sabe-se que isso esteve em cima da mesa. Naturalmente foi ponderado o nível da natação portuguesa e ajustou o critério em função disso. Três mínimos A e quatro mínimos FPN conseguidos dentro do prazo estabelecido, parecem dar razão ao modo como foram estabelecidos. 300% mais de A e 200% mais de mínimo FPN, o que configura terem sido uma formulação bem ajustada. Por um centésimo se fica de fora, por um centésimo se fica dentro. Por um centésimo se bate um recorde nacional, por um centésimo se bate um recorde do mundo. É a lei da vida, é a lei da Nataçao e de outras modalidades.

Aos que conseguiram parabéns por terem atingido este objetivo parcial. Aos que não conseguiram, parabéns por todo o empenhamento e esforço que fizeram para o alcançar. Alto rendimento é mesmo isto: é saber lidar com o sucesso mas também com o insucesso e caminhar em frente à procura de atingir um qualquer outro objetivo que entendam perseguir. Quem não entende isto, não pode estar no alto rendimento, porque este é mesmo para os mais fortes, mais talentosos, quer ao nível físico, quer ao nível psicológico.

Entende-se a frustração de quem tanto trabalhou e não conseguiu. Mas todos sabemos no desporto e noutros ramos de atividade que a vida é mesmo assim.

quinta-feira, junho 09, 2016 5:14:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...


Que o bom senso impere. E que cada um não olhe só para o seu umbigo, mas percebam que o todo é mais importante do que as partes. Perverter uma regra para um todo em função do interesse de uma parte seria um descalabro para a credibilidade de todos os órgãos da FPN.

quinta-feira, junho 09, 2016 5:21:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Mas esta FPN, ainda tem alguma credibilidade?

Vão acabar por ir, os que eles quiserem e que se lixem os critérios!

quinta-feira, junho 09, 2016 8:34:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

nem todos sabemos o que todos sabem, nem partes de partes poderão dar um todo, a hostilidade é um disparate, esta natação que existe na qual, e da qual, tudo se fez, tudo se faz, vem de algures e para algures há de ir, e que todos gostaríamos de continuar a construir, não é falsa, nunca foi, mau é condenar um processo sem avaliar todas as combinações, não devemos amenizar a perversão, merecemos a preservação,do todo e não só das partes que iludem, a nossa realidade deve ter mais arte, pois a natureza criará e destruirá incessantemente, amaremos a unidade compulsivamente, havemos de voar acima de nós próprios, acima do que julgamos ser, acima dos nossos abismos, devemos a nossa alegria ao povo que somos, flutuamos nos mesmos desejos, nas mesmas ânsias, no mesmo sentimento, na mesma vontade de melhorar, mais, somos feitos dum cruel isolamento, somos simples, seremos fortes quando formos todos, somos livres, bastante livres, os antagonismos só criarão se forem verdadeiros como os sexos, não haja dúvidas quanto às nossas experiências, podemos até ser feitos delas, mas sem fins à vista, sem consciência, o mundo verdadeiro já não é o mundo prometido, é agora o inatingível, o mundo verdadeiro já não nos obriga a nada, eliminámos tudo, o que resta? -talvez o sonho, ou não...acabou-se o erro, a seguir nada mais poderemos fazer, pois já não serviremos para nada.

quinta-feira, junho 09, 2016 9:56:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Bebaágua ao fim destes esclarecimentos seria de bom tom de tua parte refazer esta notícia e pedires desculpa aos atletas visados. Sei que o Blog é pessoal, mas quando se cria expectativas a atletas que lutaram durante tanto tempo mas não conseguiram esse fim é no mínimo uma atitude reprovável de sua parte. Também inventar uma "personagem" para vir comentar ao seu blog também não é muito leal de sua parte perante a Natação Nacional. Sei que tem dedicado parte da sua vida à natação e tem dado um contributo para o desenvolvimento da mesma. No entanto, nem todos os fins justificam os meios e ás vezes cometemos erros porque por detrás de um blog está um humano é natural que isso aconteça.
SEI QUE NÃO VAI PUBLICAR ESTE COMENTÁRIO, MAS ESPERO QUE AO LER LHE PESE NA CONSCIÊNCIA E REFAÇA ESTA NOTÍCIA...PELO BEM DA NATAÇÃO NACIONAL!

quinta-feira, junho 09, 2016 10:29:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Eu acho engraçado criticarem o BA. Se têm dúvidas, porque não vão ao site da FPN? Ah...lá não diz nada! O BA faz o favor de a natação portuguesa ter um espaço onde todas as questões são debatidas e tenta sempre ser o mais profissional possível.

Também acho engraçado um comentário nesta publicação ser claramente de alguém ligado à FPN. Meu caro...o critério da FPN é não ter critério! Há muito tempo que já se viu isso.

Relativamente ao que mais interessa: JO'16. Como já foi dito, o sistema será o mesmo que em 2012. Espero que a comitiva portuguesa seja a maior possível. Os possíveis nadadores a ir não vão ser diferentes da lista que o BA fez, simplesmente porque não há melhores.

quinta-feira, junho 09, 2016 11:49:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

A critica relativamente ao BA é feita relativamente a esta notícia, à qual são feitas algumas sugestões, aliás é bastante enaltecido o seu trabalho. Mas movimentos especulativos são desnecessários, não dão valor ao trabalho do BA.

quinta-feira, junho 09, 2016 12:22:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Depois destes choradinhos e guerras todas, aplica-se o velho ditado: quem nāo chora nāo mama.

sexta-feira, junho 10, 2016 12:43:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Há gente muito croma...! Trezentas mil explicações e nem assim percebem...! É querer falar mal da FPN porque sim...!

sexta-feira, junho 10, 2016 9:45:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Independentemente de maior ou menor valor, terem feito mais ou menos esforço, terem mais ou menos entrega, terem estabelecido mais ou menos concessões na sua vida, não devemos esquecer-nos que os JO olímpicos são uma competição para os nadadores.
Interessa que os nossos representantes consigam as melhores classificações, daí haverem os mínimos FPN.
Serem convidados e quererem obrigar o país a aceitar os convites ou por outro lado pressionarem as instituições a levarem este o aquele atleta, não é o princípio.

sexta-feira, junho 10, 2016 12:16:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

ui a malta ad FPN novamente no bebaagua a tentar explicar o inexplicável

sexta-feira, junho 10, 2016 6:43:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Só poderá ser convidado que tem classificação que entre nos critérios internacionais.
Depois como deve imaginar, seria bem mais interessante para o desenvolvimento da modalidade, irem mais atletas que representantes.
Para terminar gostaria de deixar uma simples opinião, porquê não quererem levar os atletas que vierem a ser convidados, será que iriam envergonhar o nível da natação nacional ?
Ou pelo contrário iriam ganhar experiência internacional.

sexta-feira, junho 10, 2016 8:49:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Quem conhecer minimamente as pessoas da federação facilmente identifica este ser Prof.
Deixem se de vaidades em querer demonstrar que as regras por voçes defenidadas estão certas,
Os dirigentes passam os atletas ficam , são eles que são nome à modalidade, se um qualquer atleta português vier a ser convidado pela fina, é porque tem tempo/ranking, o que voçe quiser dizer ou chamar, e por sinal existem alguns que poderam ser chamados nas tais provas que diz acima derem mais competitivas o que aumenta o grau de dificuldade, e não entender isso demontra no mínimo uma grande falta de visão como dirigente.

sexta-feira, junho 10, 2016 9:05:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Experiência internacional?! Mais do que aquela que lhes foi sendo proporcionada?!Envergonhar nunca mas contribuir para a imagem ou evolução!...Temos dúvidas! Há anos que os nomes, aunda que por mérito, têm sido os mesmos!...Qual a necessidade da insistência? Procurem-se novos nomes ainda que, não estejam ao nível e apoie-se!...Há dúvidas?! No limite ficamos iguais à atualidade!

sábado, junho 11, 2016 2:14:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Boas, tens de em primeiro lugar saber o que é preparar um atleta para o futuro, será que não Vale apena inssistir com a Durães?
Início de época re
corde nacional 400 mt livres 4.19, início de Junho 2016, 4.13.
Primeira e única mulher a nadar 200mt livres piscina 25 abaixo de 2 mt,quase em todas as provas/ meetings melhora os recordes nacionais" Ajudou sobre maneira a Tamilla atingir os objectivos, tem 19 anos, não Vale apena inssistir ?
Tenham juízo, em todas as modalidades tem de haver um trabalho de continuidade, e havendo como há possiblidades de levar a Diana ao Rio, é um absurdo não aproveitar isso, ela como outras mas será ela a mais visada.
Vai ser das primeiras a ser convidada pelo COI, mesmo sem mínimo Fpn, não diz nada.
Força Diana
Aconteça o que acontecer és grande e a natação portuguesa precisa de atletas como tu.

domingo, junho 12, 2016 2:11:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Bom dia
A fpn tem um grande pepino entre mãos, Eu não queria estar na posição do presidente, não sou nenhum "Expert" mas acho que falhou muita coisa na preparação do plano de alto rendimento, ficaram muitas "aberturas" e muitos critérios criados com segundas intensões para poderem "ajustar" as medidas de alguns atletas caso fosse preciso...
Tenho visto muitos comentários, isto é muito mais complexo do que nós imaginamos, não vale apena dizer que assim esta bem ou esta mal, SÒ VEJO UMA SOLUÇÃO, SE OS ATLETAS QUE ESTÃO DENTRO DOS PARAMETROS DA FINA A FEDERAÇÃO OPTAR POR NÃO LEVAR ESSES RESPETIVOS ATLETAS, NO MEU ENTENDER E DE MUITA GENTE DE BOA FÉ NO DESPORTO DE TAL GRAU DE EXIGENCIA, A FEDREAÇÃO ESTA A AGIR DE MÁ FÉ, E A PERDER DE UTILIZAR A AUTORIDADE NO SENTIDO MAIS CORRETO.

segunda-feira, junho 13, 2016 10:52:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Todos os Nadadores sem mínimo A = Grupo Excursionista

quarta-feira, junho 08, 2016 4:47:00 da tarde

Depois de tanto comentário e "esclarecimento", fica somente retido o comentário acima, que concerteza foi efectuado por mais um frustrado(a), que ao fazê-lo conseguiu atingir os mínimos para os "Jogos da Idiotice".

segunda-feira, junho 13, 2016 12:19:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Não se percebe esta discussão agora. Os critérios estão publicados há mais de um ano, todos (nadadores, treinadores e dirigentes) sabiam quais eram. uns tentaram e conseguiram, outros não. Assim sempre foi e continuará a ser.

Ainda agora a Vânia pode sair beneficiada por a Federação neozelandesa não aceitar vaga conquistada pela sua atleta, por considerar que a classificação obtida no apuramento não reune as condições ajustadas à sua exigência.

segunda-feira, junho 13, 2016 2:43:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Fixe, neste caso já agrada, porreiro desta forma já pode ir.
Repescada, sim
Convidados, não por favor.
Santa paciência.
Vamos ser justos , repescados, convidados. Todos dever ir, a natação portuguesa não se pode dar ao luxo de perder estas oportunidades.
Quanto às regras estarem defenidas à muito tempo, nunca foi problema alterar nada na vida desde que para melhor.
O nosso governo está sempre a mudar as regras e na maioria das vezes é para nos piorar a situação em que vivemos.

segunda-feira, junho 13, 2016 3:36:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Anonimo do diA 10 das 12:16 inteiramente de acordo. Noutras situacões para campeonatos da Europa e campeonatos do Mundo, nāo houve qualquer condescendência para outros atletas e os criterios foram todos seguidos à risca: tinham tempos foram, nāo tinham tempos nāo foram. Porque carga d'agua se deve agora abrir exceções. Imagino que as pressões e pedidos estão a ser muitos. Alias os atletas de que se fala são ainda muito jovens e concerteza terão muitas outras oportunidades para atingir estes objetivos.

segunda-feira, junho 13, 2016 8:08:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

"Alias os atletas de que se fala são ainda muito jovens e concerteza terão muitas outras oportunidades para atingir estes objetivos"

Este iluminado não deve saber o que custa a natação, atletas não recebem nada os custos de preparação elevados, gastos em provas nem se fala, abdicam de tanta coisa, o esforço é muito grande e se ha quatro anos a federação podia esta não pode porquê.FINA vai chamar os atletas e nós portugueses dizemos, não obrigada, já levamos mais de trinta, não cabem no avião.Isto é estar contra os atletas, apoio zero.muitas oportunidades: esta deve ser piada.

terça-feira, junho 14, 2016 8:13:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Levar mais atletas aos Jogos causa algum prejuízo financeiro para a Federação?
Quem souber responda sff

terça-feira, junho 14, 2016 8:17:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

terça-feira, junho 14, 2016 8:17:00 da manhã

Mas quando se definem regras, a questão não parece ser o que custa. O ideal seria que mais nadadores tivessem cumprido os critérios. Significava que a natação portuguesa estava melhor.

O COP paga tudo, ou quase tudo. Mas só leva quem cumpre as regras definidas com as federações há mais de um ano.

terça-feira, junho 14, 2016 2:48:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Meus queridos amigos... Mais uma vez Portugal não sabe o que anda a fazer, nem se quer dar ao trabalho de perceber como funcionam as coisas.
Aprendam inglês e leiam os regulamentos FINA.
Vou deixar o link e um excerto do regulamento
http://fina.org/content/rio-2016-swimming

FINA will then invite athletes who have achieved an OST / “B” time, until the total quota of 900 is reached. OST places will be distributed by event, ACCORDING TO THE POSITION ON THE FINA WORLD RANKING of 3 July 2016.

quinta-feira, junho 23, 2016 11:23:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

alex Pussieldi manda rever criterios FPN
tá lindo!!!

quinta-feira, junho 23, 2016 11:40:00 da manhã  
Blogger Pedro Ferreira said...

...USA TRIALS Amigos...it is a long way to the TOP if you want to rock n roll...

quinta-feira, junho 23, 2016 6:10:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Para quê discussão?

Levem-se todos os atletas mencionados no post, inclusivé o Mário Pereira!

Toda a gente fica contente!
Os atletas merecem!
Esta FPN leva a maior representação da natação de sempre!

"Cantando e rindo" lá vamos achando que a natação nacional está muito bem e que se recomenda.

Nunca anteriormente, existiu tanta opinião pena é, que cada uma só tem um objetivo..."levar a água ao seu moinho"

sexta-feira, junho 24, 2016 10:53:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

mas que miséria....

tantas horas de treino e "muito" do alto rendimento para que?? muitos intelectuais da ciência do ALTO, exprimido ficamos pelos tristes convidados e algumas classificações, muito poucas de mérito participativo.

Das aguas abertas ás provas de piscina ,,fica o lucro organizativo. É esse o espírito.

domingo, junho 26, 2016 7:24:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

sim

sexta-feira, julho 01, 2016 6:47:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home